sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Estudos

Comecei a fazer esses estudos com a pretensão de tentar fazer um por dia, mas acabei parando no terceiro. Ainda farei mais, periodicamente, pois é uma ótima forma de aprendizado. São pinturas muito rápidas, de 1 a 2 horas, baseadas em pinturas clássicas (o que chamam de "Master Study"). A intenção é conseguir captar as formas e cores com o olhar e retratá-las da forma mais fiel possível, com pinceladas mais largas, sem focar muito em detalhes ou refinamento. É de grande ajuda pra entender cores, luz e sombra, e composição, entre outras coisas.

Estudo digital de "Angel of Evil", de Antoine Wiertz. Aproximadamente 1 hora.
Estudo digital de "Diana, Chasseresse" de Jules Joseph Lefebvre, aproximadamente 1 hora.
Estudo digital de "Fallen Angel" de Alexandre Cabanel. Esse foi mais demorado, aproximadamente 2 horas. (a versão em que me baseei era mais escura que essa do link, mas não achei a imagem na internet)

sábado, 6 de agosto de 2016

Sonhos de outros mundos


Teve uma época que eu era muito ligada em ETs. Eu sempre gostei, nunca tive medo, só sentia simpatia com a ideia de seres de outros mundos, como se eles fossem ser meus amigos e me tirar da banalidade do mundo humano. Acho que a ideia de alienígenas chegarem dos céus numa nave para interferir na humanidade ou nas nossas vidas não é muito diferente do conceito de anjos vindos do paraíso trazendo algum sentido divino. Durante essa época eu tinha muitos sonhos relacionados a eles - tanto bons quanto assustadores. Nos bons, eu encontrava ETs que eram velhos amigos e sentia uma familiaridade indescritível e ficava muito feliz. Mas também tinha os sonhos que davam medo, geralmente eu não encontrava ETs pessoalmente mas via naves espaciais assustadoras no céu, que causavam um clima de tensão.
Mas teve outros tipos de encontros mais "neutros", como o ET que estava na minha casa, e não era bonzinho, mas era cooperativo, e cuja linguagem era composta por harmonias sonoras vocalizadas por 3 conjuntos de cordas vocais. Ou o gray que, junto com outros, participou de um sonho de conteúdo misterioso, em que senti uma familiaridade e peguei em sua mão, mas assim que fiz isso senti com estranheza e vividez a textura borrachenta de sua pele.

Mas quase nunca os ETs estiveram presentes na minha arte, apesar de com frequência eu pensar em ilustrá-los de alguma forma. Acho que essa é a primeira obra "completa" que faço de uma ET, fora alguns rabiscos da adolescência e um ou outro desenhinho. Foi feita a partir de um esboço que eu tinha começado há anos mas nunca tinha terminado, e na verdade era completamente diferente dessa versão finalizada (as pinturas costumam sofrer muitas transformações no processo!). Minha produção artística não é lá muito intensa e sempre tenho muito mais projetos e ideias do que chego a executar, mas ainda pretendo ilustrar mais esses queridos.

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Ás de Copas


Acho essa pintura um tanto fora do usual entre as minhas outras... Eu não lembro direito de onde veio a ideia de pintar uma criatura feminina alada, mas no fim me foi sugerido dar-lhe o título de Ás de Copas pelos óbvios elementos desse arcano incorporados por ela. Ela é um espírito da água, porém alado e volátil, ainda não bem formado, indicando um primeiro surgimento desse elemento. Os seios denotam nutrição e fertilidade, e o olho no peito indica despertar emocional. A cabeça é adornada por ipoméias brancas, uma flor de regência lunar (em inglês é chamada de "moonflower").

Caso um dia eu venha a desenhar um tarot, esse desenho pode ou não ser uma inspiração para os ases dos elementos...

quarta-feira, 27 de julho de 2016

A força interior

"The Inner Strength", pintura digital, 2016

Dentro de nós convivem todos os elementos, e eles fazem parte de nossa constituição. Por vezes, um ou mais deles se manifestam em desequilíbrio, e é preciso conhecer a relação entre eles para procurar devolver-lhes a harmonia.

Em meio a uma tempestade de ventos furiosos e águas turbulentas, o abraço plácido da terra acalma a tormenta e a faísca interior da força criativa do fogo evoca o movimento e as transformações necessárias para a mudança.

Todas as forças de todos os deuses estão em nós.

terça-feira, 28 de junho de 2016

Canção das estrelas

Ops! Sumi por um tempão aqui do blog. E por um período, da internet em geral também. O que foi ótimo e recomendo a todos. Neste tempo, li livros, fiz anotações, semeei, reguei e metamorfoseei. E como toda metamorfose é na verdade uma morte, morri e agora sou outra, mais próxima de mim.

Agora não sei direito por onde começar. Vou tentar postar os trabalhos que ainda não postei aqui, mais ou menos na ordem em que foram feitos.

Este, "Song of the Stars", ainda é de 2015.

 

No processo dá pra ver que há mudanças de ideia e direção no meio do caminho. Gosto de fluir numa simbiose com a pintura, deixando que ideias surjam no processo, e o bom é que a arte digital permite com mais facilidade essas mudanças ou ajustes no caminho.
 

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Retorno de Saturno

Então fiz 30 anos. Posso dizer que este é o momento em que mais me sinto "eu mesma", dona de mim, em toda a vida que já vivi. É uma sensação meio fascinante chegar a certa idade e perceber-se tão diferente, de uma forma inesperada, do que era. Sempre digo que envelhecer é uma dádiva. Não é à toa que mulheres de 30 anos (e mais velhas que isso) são estigmatizadas pela sociedade machista; uma mulher que alcança a maturidade se torna menos manipulável, menos impressionável, e portanto, menos controlável. Ou seja, mais perigosa aos olhos daquele que acham que mulheres devem ser domesticadas e submissas...

Por volta dos 28-30 anos, astrologicamente, ocorre o Retorno de Saturno, momento em que Saturno completa 1 ciclo em torno do sol, retornando à posição em que estava no momento do seu nascimento. Saturno é regente do tempo, dos ciclos, da morte, da maturidade, então o fim de seu ciclo e o início de um novo é muito marcado por esse conceito de morte. Sua identidade antiga, jovem, morre, para que um novo eu mais maduro venha a existir em seu lugar. É um novo nascimento.

Dizem que o período que antecede o Retorno é o mais difícil, assim como os momentos que antecedem a morte de uma pessoa velha ou morimbunda; esses momentos da aproximação podem ser dolorosos, muito pior que a morte em si, que vem como um alívio. Enxergar a morte se aproximando pode ser assustador, o fim de uma identidade, o fim da vida... Saturno grande e opressor crescendo no nosso céu, obscurecendo nossa visão. Mas depois que passamos pelo véu, tudo é diferente.

Em homenagem ao meu Retorno, fiz um retrato da Mãe Saturno.



Coisas que Saturno me ensinou:

1. Amadurecimento vem com a idade, a experiência e o passar do tempo, mas também é algo que precisa ser ativamente buscado. Nem sempre é algo que automaticamente cai no seu colo com a idade. É preciso refletir sobre os acontecimentos da vida, buscar desvendar suas lições, investigar seus mistérios, olhar muito pra dentro, perscrutar o escuro. Pode-se ficar mais velho e nunca amadurecer o que se precisava, se não tiver essa vivacidade interior.

2. Se você não aprende uma lição, não desfaz um nó, sua vida (que é só mais uma forma de dizer "você mesmo") te coloca em situações da mesma natureza repetidamente, até você identificar o que precisa aprender. Mas não apenas isso: mesmo com uma lição aprendida, você pode voltar a viver situações semelhantes, e achar que está andando em círculos, mas na verdade isso acontece para que você aprenda a ver novos aspectos daquela situação, que não viu antes - talvez até porque ainda não tinha condições e aprendizado para vê-las e precisava avançar algumas etapas para conseguir enxergar. Na vida ocorrem ciclos, mas não é repetição do mesmo: nem você nem as águas do rio em que entra são os mesmos, apesar de ainda ser aquele rio.


3. O sentido de uma situação só pode ser percebido depois que o ciclo se completa, e você pode contemplar o quadro inteiro. Enquanto tiver peças faltando, não será possível tirar dali um sentido completo. Isso tanto vale para situações pontuais, para fases da vida, e para a vida como um todo: se ainda estamos na metade do caminho, ainda dentro do labirinto, não tem como visualizarmos o caminho do labirinto inteiro, visto de cima. Portanto, não é preciso se angustiar por não compreender algo; melhor prestar atenção por onde se anda e o que se pode aprender por ali, quais peças se pode juntar.

4. Não se pode acelerar o tempo e seus ciclos. Se um tempo é necessário para que algo se resolva, não adianta ter pressa, bater o pé, chorar, esbravejar com o punho aos céus. O tempo tem seu compasso. Cada estação sucede a outra, no momento que deve vir. Não se pode apressar o amadurecimento de uma fruta. A paciência nos é ensinada por bem ou por mal. Por isso tantos consideram Saturno um tirano opressor, porém, isso é apenas porque os humanos são teimosos e arrogantes, querem sobrepujar as forças da natureza, e ficam descontentes por não poderem...

Versão alternativa, com arco e um símbolo. Fiquei na dúvida se incluía esses elementos ou não, preferi deixar sem para que desse uma impressão maior da amplitude do céu escuro.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Fotos por Gabriela Minks!

Ano passado, tive a honra de ser fotografada pela linda Gabriela Minks. Admirava o trabalho dela já fazia tempo, então fiquei muito feliz quando ela veio pra minha cidade e pôde me fotografar! Ela tem um olhar muito delicado para fotografia, quase sempre com um toque de natureza, um ar romântico onírico e etéreo, muito encantador.

Ela fez com que minhas fotos ficassem parecendo saídas de um conto de fadas!


Para conhecer e acompanhar mais do trabalho da Gabriela, ela tem uma página no facebook: Gabriela Mink Fotografia
Lá tem links também para o Flickr e formas de contato!



sábado, 16 de janeiro de 2016

Eclipse

Não lembro se tinha falado aqui, mas meu monitor tinha estragado e eu estive usando um mais simples temporariamente, e por isso eu fiquei um tempo sem poder fazer pinturas digitais, pois o monitor que eu tava usando não era muito bom pra isso. Até cheguei a pintar mas deixei a pintura em stand by pra terminar de verdade quando tivesse um monitor bom de novo.
Então, consertei meu monitor, viva! E pude terminar a pintura e fazer outras mais!

Neste post vou postar a "Eclipse", e um pouco do processo dela.


Curiosamente, no início essa pintura era bem diferente, começou assim:


Depois acabei invertendo e a pintura foi seguindo outro caminho:


O último quadro é como eu tinha largado a pintura até conseguir consertar meu monitor. Retrabalhei todo o fundo, pois não estava satisfeita com as nuvens (apesar de ter passado um bom tempo nelas!). Nuvens são mais difíceis do que parecem!

Eu praticamente sempre estive usando apenas um pincel redondo, normal, pra fazer as pinturas, mas sentia falta de texturas e pinceladas mais "orgânicas" e menos "plásticas", que sempre achei que davam uma aparência mais rica às pinturas digitais que admirava, então experimentei outros pincéis. Geralmente aplico algumas texturas no final da pintura, mas dessa vez apenas mantive as texturas das pinceladas mesmo.

Alguns detalhes (clique para ver maior):


Também fiz um gif animado mostrando o processo:


Ah, nem me dei conta que este é o primeiro post do ano! Espero neste ano postar mais vezes, heheh!
Real Time Web Analytics